domingo, 15 de dezembro de 2013

DIVAGAR por VALE DA PINTA - pelos olhos do Pedro




Á um ano o Pedro foi passar uns dias de férias escolares no My Camp, um campo de férias na Quinta da Broeira em Vale da Pinta. Hoje vamos conhecer um pouco de Vale da Pinta através das fotografias do meu filho Pedro.





Vale da Pinta foi uma freguesia portuguesa do concelho do Cartaxo, foi extinta este ano, no âmbito da reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia do Cartaxo.






Segundo a sua história e lenda, Vale da Pinta está ligada a diversos factos de importância relevante, entre eles as conquistas e incursões cristãs contra os mouros, levadas a cabo pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques.




Em 1225, no nome de Vale da Pinta surgiu numa mercê de D. Sancho II, quando este concebeu a Pero Pacheco a mercê dos terrenos do Reguengo do Cartaxo, nas confrontações da concessão foi feito referência às “herdades de Valle da Pinta”.




Em 1312, quando D. Dinis concedeu foral ao Cartaxo, concedeu aforamento a vinte homens, entre eles Fernão Pais de Vale da Pinta.

No século XVII, dois naturais de Vale da Pinta assumem um papel de destaque: D. Garcia de Noronha, sobrinho de Afonso de Albuquerque, vice-rei da Índia, e Cristóvão Esteves, um dos compiladores das Ordenações Manuelinas, proprietário da Quinta da Esparagoza (Vale da Pinta).








Em 1642 há registos da existência da confraria ou irmandade de Nossa Senhora da Graça, cuja devoção assumiu contornos expressivos em Vale da Pinta – ainda hoje a festa anual é feita em honra de Nossa Senhora da Graça. 






Como património cultural de Vale da Pinta é de referir a Igreja Matriz e o Poço de São Bartolomeu, um poço quadrangular, em pedra, com ligação a um bebedouro que servia para dar de beber aos animais. É monumento histórico municipal. Ali foi encontrado uma imagem de São Bartolomeu, por essa razão, o Poço tem o nome do referido santo.







Alguns momentos de lazer no campo de férias My Camp.






E à noitinha eis o que ele viu ...




Para terminar deixo um miminho para todos os AMIGOS, dado pela mão do meu filhote.




Fontes: Wikipedia, http://jf-valedapinta.pt/info/.
Fotos: Pedro Rodrigues

domingo, 1 de dezembro de 2013

As GALINHAS de Porto Galinhas




A arte manifesta-se nas mais diferentes formas e nos mais diversificados materiais. Hoje vamos apreciar as GALINHAS de Porto Galinhas, feitas de antigos troncos de palmeiras.






Porto de Galinhas é uma conhecida praia da Região Nordeste do Brasil, localizada no município de Ipojuca, no estado de Pernambuco.







A sua fama deve-se, principalmente, às belezas naturais: piscinas de águas claras e mornas formadas entre corais, estuários, mangues, areia branca e palmeiras.





Inicialmente, a praia era chamada de Porto Rico, devido à sua abundância em pau-brasil. No auge da escravidão no Brasil, era o principal ponto de comércio de escravos ilegais no nordeste brasileiro. Muitas vezes, os mesmos chegavam escondidos debaixo de engradados de galinhas d'angola. A chegada dos escravos ilegais ao porto costumava ser anunciada pela frase tem galinha nova no porto! Desta forma, a praia de Porto Rico ficou conhecida como Porto de Galinhas.







As galinhas são o símbolo da cidade, elas encontram-se por todo o lado sinalizando ruas, restaurantes, e todo o tipo de comércio. Com cerca de um metro e meio de altura, elas aparecem nas mais diferentes formas, desde galinha dona de casa, galinha turista, galinha surfista ....






O artista chama-se Carcará é de Olinda mas vive já há bastantes anos em Porto Galinhas. A Prefeitura de Ipojuca disponibiliza as raízes dos coqueiros e ele as transforma nestas belas peças. Leva cerca de sete dias para fazer uma galinha e as portas do seu ateliê, que se situa perto do hotel Armação de Porto, estão sempre abertas aos turistas, quer para conhecerem a sua arte, ou mesmo para fazer alguma encomenda.

Texto: Wikipedia e net
Fotos: António Rodrigues




"A arte diz o indizível; exprime o inexprimível, traduz o intraduzível." (Leonardo da Vinci)

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Locais Incrivéis mas Dificéis de alcançar



Mount Cangyan - the Fortune Celebration Temple.
Fica localizado a sudoeste da capital provincial Shijiazhuang e perto da fronteira com a província de Shanxi. O edifício mais famoso no Monte Cangyan é o Templo Celebration Fortune.


Foto: esversionWordpress.com


Katskhi Pillar
É um monólito de pedra calcária natural localizada na aldeia de Katskhi na região da Georgia, perto da cidade de Chiatura . Fica a cerca de 40 metros de altura. No topo encontra-se uma igreja, construida por monges, provávelmente entre os séculos XIX e X. Entre 2005 e 2009, o edifício do mosteiro foi restaurado com o apoio da Agência Nacional para a Preservação do Patrimônio Cultural da Geórgia. A rocha é agora acessível através de uma escada de ferro correndo da sua base até o topo.


Foto: wikipedia_Giorgi Balakhadze

The Narrows em Travis no Texas.
Numa propriedade particular, esta piscina natural, fica num desfiladeiro e é formada apenas em algumas épocas do ano.

Foto: www.Hillcountryalliance.org


Ball’s Pyramid
Localiza-se no litoral australiano e é o resto da explosão de um antigo vulcão. É a rocha mais alta do mundo existente no mar. Tem o formato de pirâmide e uma altura de 562 metros. É muito dificil chegar lá por estar sempre cercada de tubarões.

Foto: http://unusualplaces.org/


Phugtal Monastery ou Phugtal Gompa na Índia
Um mosteiro construído num penhasco, no inicio do século XII, tem uma construção fora do vulgar em forma de favo de mel.


Foto: wikipedia_Shakti

Fontes e Fotos: Wikipedia; sun-surfer.com; www.Hillcountryalliance.org; Image+source_faith.ge; esversionWordpress.com; WWW.wordl-insights.com; outros net


sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Divagar pelos JARDINS e PALÁCIOS de Peterhof


Foto:wikipedia_Michael+Hoffmann


Na proximidade da cidade de Peterhof, na costa sul do Golfo da Finlândia a cerca de trinta quilómetros da antiga capital russa, São Petersburgo, localizam-se os maravilhosos jardins e Palácios de Peterhof.


Foto: www.russianTourguide.com

Foto:www.panoramio.com_Luisiz2


O conjunto de palácios e jardins, juntamente com o Centro Histórico de São Petersburgo, fazem parte do Património Mundial da UNESCO.


Foto: www.panoramio.com_Andrej_Antipin

Foto: www.panoramio.com_Ghislain Nouvellon

Foto: www.panoramio.com_Jejim


Peterhof, que significa em alemão "Corte ou Jardim de Pedro" é um conjunto de palácios e jardins, distribuidos sob as ordens de Pedro, o Grande, sendo muitas vezes designado por "Versailles Russo".


Foto: www.panoramio.com_paparazzistas

Foto: wikipedia

Foto: wikipedia


O parque Peterhof de cerca de 1000 hectares, com uma densa vegetação, abriga vários palacetes, villas, pavilhões, esculturas, bem como mais de cento e vinte fontes, todas elas de grande beleza, arte e imponência.


Foto: wikipedia_Author_Vitaly

Foto: wikipedia_Author_Yair+Haklai

Foto: Foto: wikipedia_Author_Yair Haklai


Do centro do Peterhof partem, radialmente, cinco avenidas que se dirigem para o mar: as quatro laterais, duplas,conduzem aos pavilhões de Monplaisir e do Ermitage; a central ladeia a parte esquerda do canal e conduz a um pequeno pórtico.


Foto: www.panoramio.com_Andrej_Antipin


A menos de 100 metros das margens do Golfo da Finlândia e no alto da colina com vista para o mar, ergue-se o Grande Palácio. O Grande Palácio (Bolshoi Dvorets), é um dos mais belos e ricos palácios de toda a Rússia, sendo também conhecido como o Palácio de Verão, pois era o lugar onde os Czares gostavam de passar os verões. O núcleo original do Grande Palácio foi criado para Pedro I da Rússia, pelo francês Alexandre Le Blond. Este edifício passou a dominar o soberbo declive do Parque Inferior a partir de 1725, disposto para entreter e acolher os ócios estivais do casal Imperial, embora por pouco tempo, uma vez que Pedro faleceu nesse mesmo ano.


Foto: www.saint-petersburg.com

Foto: wikipedia_Yair_Haklai


Foto: www.onthegotours.com


No extremo da fachada encontra-se a capela do Palácio Peterhof. Foi esta a igreja baptismal tradicional, utilizada pelo czar Nicholas e Alexandra, para batizar os seus filhos.


Foto: foundwalls.com

Foto: wikipedia_Alex Florstein

Foto: wikipedia_Alexxx1979


A Norte, em suave declive para o mar, cortado verticalmente pelo Canal Marítimo (Morskoi Kanal), abrem-se os Jardins Inferiores , um amplo terreno com 1,02 km quadrados, cheio de caminhos e veredas e povoado com abetos, bétulas, amieiros, tílias, árvores de fruto e vários tipos de arbustos de adorno.


Foto: www.panoramio.com_Kreps SG
 
Foto: www.panoramio.com_sergeOS

Foto: www.panoramio.com_sergeOS

Foto: www.pond5.com


A maior parte das fontes de Peterhof estão contidas nestes jardins, assim como vários pavilhões e belos edifícios. 


Foto: www.panoramio.com_Andrej_Antipin

Foto: www.panoramio.com_Andrej_Antipin


Grande parte das fontes aqui localizadas exibem um excepcional grau de criatividade. Um dos desenhos mais notáveis é a Fonte "O Sol". Consiste num disco irradiando jactos de água do seu bordo, criando uma imagem que lembra os raios do Sol. Toda a sua estrutura gira em torno de um eixo vertical, para que a face virada ao Sol mude constantemente.


Foto: www.inyourpocket.com


Várias fontes foram desenhadas com o objectivo específico de molhar os visitantes. Duas tomam a forma de árvores esguias com jactos de água que se activam quando alguém se aproxima. Outra, semelhante a uma sombrinha (Umbrella fountain) com um jogo circular de cadeiras dispostas em volta do tronco, solta uma cortina de água a partir da sua borda quando alguém entra para se sentar.


Foto: about-st-petersburg.com


Os Jardins Superiores  à semelhança dos inferiores também contêm várias fontes, de salientar a fonte de Carvalho (Oak fountain), e a fonte se Neptuno (Neptune fountain).

Foto: Foto: wikipedia_Author_Yair Haklai


Os jardins superiores, cobrindo cerca de 15 hectares (40 acres), foram concebidos como uma espécie de abordagem formal para o Grande Palácio, cobrindo toda a extensão da fachada sul. O seu ajardinamento, é completamente diferente dos Jardins Inferiores, estando feitos de acordo com leis de simetria.


Foto: Foto: about-st-petersburg.com

Foto: Foto: wikipedia_Alex Florstein


Abaixo da fachada Norte do Grande Palácio fica a Grande Cascata (Bolshoi Kaskad), que se estende através do Canal Marítimo até ao Báltico, um dos mais extensos trabalhos de água do período Barroco, o qual divide os Jardins Inferiores. 


Foto: wikipedia


No centro da cascata fica uma gruta artificial com duas escadarias, coberta no exterior e no interior com pedra castanha talhada. A gruta liga-se ao palácio por um corredor dissimulado. As fontes da Grande Cascata estão localizadas abaixo da gruta, de cada um dos seus lados. As suas águas fluem para um tanque semi-circular, o final do Canal Marítimo alinhado com a fonte.


Foto: wikipedia_a.savin


Na década de 1730, a grande Fonte de Sansão foi colocada no tanque. Esta tem um duplo simbolismo ao descrever o momento em que as lágrimas de Sansão abrem as mandíbulas do leão, representando a vitória da Rússia sobre a Suécia na Grande Guerra do Norte. A partir das mandíbulas do leão ergue-se um jacto de água vertical com vinte metros de altura, o mais alto de Peterhof. Esta obra de mestre, concebida por Mikhail Kozlovsky, foi pilhada pelos invasores alemães durante a Segunda Guerra Mundial. Uma réplica da estátua foi instalada em 1947.


Foto: wikipedia_Author_Ludvig14


Provavelmente, a maior realização tecnológica de Peterhof consiste no facto de todas as fontes funcionarem sem o uso de bombas. A água é fornecida por nascentes naturais e recolhida em reservatórios situados nos Jardins Superiores. A diferença de elevação cria a pressão que activa as fontes dos Jardins Inferiores, incluindo a Grande Cascata. A Fonte de Sansão é abastecida por um aqueduto especial com mais de 4 km., o qual garante água e pressão a partir de uma fonte mais elevada.


Foto: wikipedia_Author_Yair Haklai


A mesma colina que providencia o cenário para a Grande Cascata aloja duas outras cascata muito diferentes. A Oeste do Grande Palácio fica a Montanha Dourada (Zolotaia Gora), decorada com estatuária em mármore que contrasta com as desordenadas figuras douradas da Grande Cascata. A Este fica a Montanha de Xadrez (Chess Cascade), uma larga queda de água inclinada, cuja superfície é coberta por telhas pretas e brancas, como um tabuleiro de xadrez.


Foto: www.panoramio.com_Andrej_Antipin

Foto: st-petersburg-tours.ru


Duas das mais antigas fontes, que sobreviveram à guerra e que mantêm o seu caráter arquitetônico original, são a fonte "Adão" e "Eva".





Estas duas fontes ocupam posições simétricas em cada lado do Canal Marítimo, cada uma na conjunção de oito caminhos. Cada uma tem 16 jatos e estão rodeadas por piscinas octogonais.


Foto: www.panoramio.com_Robert elch


A abertura oficial das fontes em Peterhof, o que normalmente ocorre no final de maio, é um festival durante todo o dia, com música clássica, fogos de artifício e outras performances, como cada seção de fontes do parque está ligado um por um.


Foto: www.panoramio.com_Nenad OBR


A Este dos Jardins Inferiores encontra-se no estilo inglês o Parque de Alexandria , com as suas estruturas neogóticas do século XIX, ocupando uma área de 115 hectares. Em agosto 1825 o Imperador Alexandre Iofereceu esta terra para o seu irmão Nicholas, que foi coroado imperador, quatro meses depois e deu de presente para a sua esposa Alexandra, daí o nome da propriedade. O parque de Alexandria foi criado sob a supervisão dos arquitetos Adam Menelaws, José Carlos Magno, Andrei Stakenschneider e Eduard Gahn, e os mestres jardineiros Friedrich Wendelsdorf e Peter Ehrler. É neste parque que se ergue o Pavilhão de Nicolau I e a Capela Gótica (Gothic Chapel - Church of St Alexander Nevsky), mandada construir pelo mesmo monarca.


Foto: www.panoramio.com_Bajguz_Igor

Foto: www.saint-petershurg.com


Pavilhão de Nicolau I (Cottage Palace)
Nicolau I encomendou a Menelaws Adam, um arquitecto e paisagista escocês, a criação de uma propriedade de estilo Inglês, com um palácio "cottage" e casa-fazenda. A Cottage Palace foi concluída em 1829, e tornou-se a residência permanente de verão da família do czar.


Foto: wikipedia_Anna Anichkova


Capela Gótica
A Capela Gótica de Peterhof é a mais imponente das estruturas neogóticas situadas no Parque de Alexandria. Foi desenhada, a pedido de Nicolau I, pelo elegante arquitecto Karl Friedrich Schinkel, em 1829. A igreja foi erguida entre 1831 e 1833 sob a direcção de Adam Menelaws e Ludwig Charlemagne. O escultor Vasily Demut-Malinovsky desenhou 43 figuras de cobre que se alinham nas paredes.


Foto: www.saint-petersburg.com


Entre os edifícios mandados construir por Pedro, o Grande é de salientar também o Monplaisir,  o Ermitage e o Palácio Marly.

Monplaisir
Monplaisir foi o primeiro pavilhão construído por Pedro, o Grande no parque de Peterhof. Era aqui que o Pedro tinha o seu Estúdio Marítimo, do qual podia ver a Ilha de Kronstadt e São Petersburgo. É o mais elegante dos edifícios construídos no parque. É neste pavilhão que se reúne uma parte da rica colecção de arte que Pedro, o Grande foi adquirindo durante as suas viagens ao estrangeiro.


Foto: wikipedia_Author_Michael+Hoffmann


Ermitage
No extremo oposto do parque em relação a Monplaisir, ergue-se, isolado, o Ermitage, um pavilhão de dois andares construído entre 1721 e 1727, por I. Braunstein, também com a intervenção de Pedro, o Grande.


Foto: www.saint-petersburg.com 

Foto: www.saint-petersburg.com 


Palácio Marly
Palácio Marly é a estrutura principal da parte inferior do parque. Embora não seja grande, ele desempenha um papel importante na composição global do parque. Três avenidas principais divergem do palácio cortando o parque de oeste para leste. A construção do Palácio Marly começou em 1720, sendo um projeto desenhado por Johann Braunstein.


Foto: wikipedia_Alex Florstein


Os jardins de Peterhof com as suas cascatas, fontes e palácios, conjugando toda a envolvência da natureza com a mestria e arte do homem, são um deslumbre para os ollhos e para a alma.


Foto: www.Trekearh.com_Alvin Brown


Site Oficial: Saint-Petersburg

Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.saint-petersburg.com/; http://wikitravel.org/en/Peterhof; http://about-st-petersburg.com/; http://st-petersburg-tours.ru/peterhof/; st-petersburg-tours.ru; www.panoramio.com; www.inyourpocket.com; http://www.ticketsofrussia.ru/; foundwalls.com; www.Trekearh.com; outros net


Foto: www.panoramio.com_Andrej_Antipin


Não podendo conhecer ao "vivo" todos os incriveis locais do nosso planeta, podemos sempre viajar através de fotografias e de texto. A net é o meu meio de alargar os horizontes, de conhecer sitios muitas vezes longínquos, outras bem mais pertinho, mas sempre locais com uma beleza muito especial e própria que encantam o olhar e ajudam a aliviar a alma das agruras que por vezes me atormentam. O meu sincero OBRIGADO a todos os fotografos que permitem a todos nós divagar.